Categorias
blog SV HQ nacional Prêmio

Fábio Moon, Gabriel Bá (10 Pãezinhos) e Grampá são os primeiros quadrinistas brasileiros a ganharem o Oscar dos Quadrinhos

Pela primeira vez na história do Eisner Awards (apelidado de Oscar dos quadrinhos nos EUA) três brasileiros levaram o prêmio: Fábio Moon e Gabriel Bá (os gêmeos autores de 10 Pãezinhos) e Rafael Grampá.

Bá e Moon no lançamento de Crítica, em 2004

Os três ganharam, surpreendentemente, o prêmio de Melhor Antologia, pela revista independente 5, produzida em conjunto com a ítalo-americana Becky Cloonan e o grego Vasilis Lolos. Pois é, uma revista independente levou (leia mais sobre ela abaixo). Com desenhos de Bá e roteiro de Gerard Way (vocalista da banda My Chemical Romance), The Umbrella Academy ganhou como Melhor Série Limitada. Já a Melhor História em Quadrinhos Digital foi Sugar shock, com arte de Moon e roteiro de Joss Whedon (de Buffy – A Caça-Vampiros e X-Men).

Levanto-me da cadeira e aplaudo de pé estes quadrinistas. Especialmente os irmãos Bá e Moon, pois acompanho há um bom tempo a carreira deles por aqui e sua iniciativa de lançar quadrinhos “de autor” nos EUA, ao invés de apenas desenharem personagens norte-americanos. Ta, é bacana para o quadrinho brasileiro, mas é, acima de tudo, uma conquista deles e dos que os apoiaram em sua carreira desde o final do século passado. Parabéns!

Em tempo: Grampá deu um depoimento bacana no blog dele. Leiam aqui.

Arte de Grampá: sobrecapa e capa de 5

Sobre 5

5 é uma revista peculiar. Pela segunda vez, os irmãos Bá e Moon se meteram num projeto coletivo de uma edição independente com quadrinhos praticamente sem falas (a primeira foi Rock’n’Roll, em conjunto com Bruno D’Angelo e Kako). A idéia original foi produzir uma revista independente que poderia ser comercializada aqui no país e também promover o portfolio dos artistas nos EUA.

Desta vez, se uniram a Rafael Grampá (que ilustrou a capa e contracapa) e contaram com aliados estrangeiros: Becky Cloonan e Vasilis Lolos. Cada um deles se reveza a contar histórias sobre um dos outros artistas, em tramas que misturam realidade e fantasia. O resultado é bacana e bem melhor do que o da primeira investida sem falas.

Mas daí até vencer em terra estrangeira na categoria de Melhor Antologia foi um grande passo. Há alguns anos os irmãos vêm visitando os EUA na Comic Com e já haviam abocanhado indicação ao prêmio. Com uma maior presença por ali e com uma das histórias sendo roteirizada pelo multimídia hollywodiano Joss Whedon, finalmente conseguiram a visibilidade que precisavam. Daí, ficou por conta do talento…

Dê uma olhada material sobre 10 Pãezinhos na seção Resenhas e Artigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *