Categorias
HQ

Meus 15 dias grátis no Social Comics

Como eu já havia tratado anteriormente aqui no blog, estava esperando pra conferir, na prática, esse conceito de “Netflix dos quadrinhos”. Pois bem, a primeira plataforma nacional a ser lançada agora no final de setembro foi o Social Comics.

Na campanha de lançamento já alardeavam que os primeiros 15 dias seria grátis. Não daria pra ter menos que isso, afinal um conceito novo, plataforma nova, tudo novo, tinham mais é que dar a chance do leitor se familiarizar pra decidir se valia ou não a assinatura do serviço.

socialcomicshome

Lançamento na noite de 30 de agosto e já no dia 1º de setembro fiz o meu cadastro. Terminado o período de experiência, posto aqui minhas impressões.

Pra começar, devo dizer que sou um entusiasta dos quadrinhos nas suas mais variadas formas. Mas desde que surgiu a opção do digital eu tenho lá minhas restrições em relação à leitura no desktop. Tanto que, há uns quatro anos fiz um esforço extra (economicamente falando) pra comprar um Ipad no começo da era dos tablets. Sendo assim, testei o Social Comics num desktop (com Windows) e no Ipad, mas dei mais ênfase no segundo.

Entendo que uma novidade deste tipo deve receber uma análise tipo custo/benefício. Ou seja, se o que a plataforma oferece valem os R$ 19,90 que são cobrados na mensalidade. Usei os 15 dias gratuitos pra tirar a dúvida. Não pude me dedicar apenas a isso (contas a pagar, sabe como é :)), mas procurei acessar um pouco mais do que faria normalmente, para poder ser criterioso. Compartilho minhas impressões.

Sobre o sistema, é de fácil usabilidade e funciona bem de um modo geral (tanto no desktop – direto no navegador, usei o Chrome – quanto no tablet – para o qual baixei o aplicativo específico). A navegação é boa e, além da tela inicial,  há 9 opções pra se orientar, como se vê na reprodução abaixo da tela.

Social Comics Navegação

Uma coisa que precisa melhorar ainda é a opção de download para leitura offline. Tive problema para baixar pelo menos em ⅓ dos títulos que tentei (algo em torno de 20 tentativas não simultâneas no total). Alguns deles consegui completar, usando a opção de continuar o download de onde parou. Outros não. Essa observação é bastante importante no meu caso, pois boa parte da minha leitura é offline, quando estou em trânsito. Não há na plataforma a informação de quantos títulos se pode manter offline, mas sei pela divulgação que o número é limitado: o foco do serviço é online mesmo. De todo o modo, a maior parte rolou.

Em termos de conteúdo disponibilizado, fiquei com a boa impressão de que foram acrescentando títulos durante os 15 dias. Digo isso porque não fica disponível na plataforma a quantidade de títulos existentes no momento. E, como a página inicial muda bastante, não dá pra ter certeza (minha memória não é lá essas coisas).

Ainda neste quesito, devo dizer que, numa primeira navegada achei que ainda há muito a melhorar. Mas já comecei a achar coisas bacanas pra ler. Tais como:

Mundo dos Super-Heróis – Um graaande acervo da revista

Quem Matou João Ninguém – uma HQ que eu já queria ler

A Última Bailarina – hilária, que também tava na minha lista

FDP – que eu podia jurar que já tinha lido antes, mas era só impressão

O Quarto Vivente – ainda tô no começo, mas promete

Só pra dar alguns bons exemplos…  Bom, vale dizer que, pra quem curte a Mundo dos Super-Heróis a assinatura já vale, uma vez que a revista custa R$ 12,50 e por R$ 7,40 adicionais você ainda tem todo o resto do acervo do Social Comics, incluindo números antigos da publicação.

Mundo Super Heróis no Social Comics

Já quem só curte material estrangeiro deve passar longe por enquanto. Porque a plataforma tem quase nenhum conteúdo desta praia (um raro exemplo são alguns números da revista do Juiz Dredd). E nada das grandes DC e Marvel.

Mas há vida criativa além destas editoras e, na minha avaliação, já está valendo a mensalidade. Por isso segui com a assinatura. Considero que há campo pra melhorar no quesito conteúdo, mas o custo/benefício já vale. De todo o modo, espero que haja um aumento constante de títulos disponíveis para continuar justificando a assinatura.

E, como bônus, você ainda estará valorizando a produção nacional (há muito material independente na plataforma, inclusive), poderá descobrir títulos novos que nunca cogitaria comprar ou nunca teve acesso e ainda não ocupa espaço na sua casa (este último item cada vez mais importante no meu caso :)).

Para se cadastrar no Social Comics e fazer sua própria experiência, visite: www.socialcomics.com.br (lá você também encontra os links pra baixar os aplicativos para Android e Apple).

PS: se você quer saber mais sobre os destaques na plataforma sem se cadastrar, dê uma conferida na fanpage do Social Comics, que volta e meia informa a respeito.

2 respostas em “Meus 15 dias grátis no Social Comics”

Olá… Estou pensando em assinar também, você sabe me informar se é possível acessar em mais de um dispositivo ao mesmo tempo? Como na Netflix com as quatro telas.
Obrigado.

Oi Eduardo. É possível sim. Eu uso no desktop e no tablet. Sendo que dá pra baixar até 10 HQs pra ler offline (faço isso no tablet). O download pra offline não é perfeito ainda, volta e meia encontro títulos que não consigo baixar. Mas teoricamente é possível

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *